sexta-feira, janeiro 05, 2007

curto & grosso

o tempo
urge
por isso a pressa
inimiga
da perfeição
e o dizer
nem sempre
preciso tudo antes
que o poema
acabe
em outro.


12 comentários:

Anônimo disse...

Já que não uso relógios, e não quero saber de tempo urdindo... serei longa & fina.

Beijos

Jéssica disse...

O tempo é hoje!
Bom domingo, beijossssssss

claudia disse...

hum
gostei

até porque o tempo...voaaa
beijos

Anônimo disse...

Vem começar com a gente!

Um abraço,
Draissar Castic.

www.malditasmulheres.blogspot.com

Mary disse...

E eu aqui passando para ler-te... ;)

bjus

Dora disse...

O poema compete com o tempo do tempo...Tem que dizer logo a que veio...Por isso, o seu poema é sempre "temporal" e "atemporal". Tente entender-me!
Beijos.
Dora

Clauky Saba disse...

é poetamigo, vezes as palavras nos levam por caminhos tortos...

esse poema parece feito numa linha só, sem destino e direção e, como sempre, achou uma boa direção!

poetabraços

clauky

et: agradeço pelos nova remessa de livros! estou começando a preparar o meu e, claro: um será teu!

Jéssica disse...

Passando pra desejar um lindo final de semana, beijo*.*

Loba disse...

Poeta!
Saudades muitas de vc, viu? E desta nossa vida blogueira!
Sorte minha ter vc impresso aqui comigo! rs...
Querido, obrigada pelos livros que tem me enviado. São meus companheiros de todo dia!
E obrigada tb por dividir seu talento nestes poemas curtos e intensos.
Ainda não estou voltando... mas vou voltar sim. Logo, logo, viu?
Beijo grande, grande!

Ana Maria Costa disse...

Wilson,
Vim conhecer teu blog e adorei, poemas belíssimos! Parabéns!
Abraço!

zingarah disse...

Wilson,
seus textos, curtos e intensos, cortando direto na carne das coisas. Abs!

Jéssica disse...

Vc é muito bom nas escritas, vim ávida pra te ler, até pensei em coisa nova e boa como sempre... Bom domingo, beijo*.*