segunda-feira, agosto 13, 2007

estranha sede...

( a partir de um poema da Loba )

estranha sede
que também
é fome
e labirinto

escondido
- ou não -
sob a toalha
(desde sempre
sem saidas)

como escapar
do mistério?
(de que tudo é
feito)

: se
nossas pernas
nossos pés

são da mesa
e das cadeiras.

###

segunda feira: começou funcionar, acho que agora vai (parar outra vez)

2 comentários:

Taís Morais disse...

se escapamos do mistério, mergulhamos em outro.
para que descobrir? se no final tudo vai ficar mesmo sem explicação?

taís

D'Noronha disse...

Que la nave, agora, vá...