quarta-feira, agosto 22, 2007

ainda assim...

clareira
aberta
no tempo
fogo
aceso
no escuro

clareira
acesa
no escuro
fogo
aberto
no tempo

: aceso
o fogo
aberta
a clareira

: o tempo
escuro
a chama
inútil.

Um comentário:

Barbara disse...

Meu querido Wilson, eu ADORO a sua poesia. Obrigada, por ter deixado aquele poema LINDO no meu cemitério. A propósito, há um escritor excelente, cheio de sensibilidade e ironia, que escreveu um livro chamado "Cemitério de Pianos". Um beijo. Voltarei sempre aqui.