terça-feira, abril 08, 2008

de circunstância

quando
o invisível

toca
o intocável

: eu
vejo e sinto
e quase

consigo
dizer
o indizível

Um comentário:

Dora disse...

Wilson...Se o invisível tocar o intocável, já é a consumação dos tempos...Entendeu isso? rs
Sabe que o "Longe Assim..." está aqui, "Perto Assim..." das minhas mãos? Sabe, Wilson, meu criado-mudo, no escuro do quarto, tem uma luz do abajur "do seu livro"...
Mas, não pense que as gotas de vida que bebo dele são um conforto...Pelo contrário, seus poemas me desequilibram, me tiram do prumo...E é por isso que eu adoro o desafio deles!!!
Obrigada por compartilhá-los comigo!!!
Obrigada, de coração!
Abraço apertado, meu poetamigo!
Dora