segunda-feira, outubro 02, 2006

Basta

meia
volta
em torno
de nada

tropeço
em
algo

derrubo
tudo.

8 comentários:

Clara disse...

Tanto leva e trás que agora tanto faz.

Levo inspiração e trago opinião.

Adorei!

Beijos!

Nanna disse...

Desastre virtual... :)

Muito obrigada pela visita ao Blog de 7... Adorei seu blog, também! Voltarei, sempre...

Beijinhos...

Vicente Siqueira disse...

Oi, Poeta.
Viu o que que dá, não abrir portas?
Acaba tropeçando, mas, também, tanto faz, como disse a Clara, né?
Tropeços fazem parte.... eheheheh
Deixo doces.
Vicente

Leandro Jardim disse...

de rubro
derrubo
de tudo

de claro
declaro:
"de nada"

hehe... gostei!

Olá,
Obrigado ela visita... pode postar um poema meu no Outros Poemas sim, claro, será um prazer!! Mas qual poema?

abraços
Jardineiros

diovvani disse...

Wilson, às vezes meia volta ou inteira; em torno do nada, é t-u-d-o que precisamos para arejar às idéias. MontanhosoAbraçoDasMinas.

E.T.: obrigado pelo poeminha. postado no seu "outros poemas". coloquei agora um link.

Fernando Palma disse...

Olá Wilson,
o que acheio mais legal deste teu pequeno poema foram as palavras "nada, algo, tudo" nas cadanecias dos versos. Soou perfeito, contraditório e bem-humorado. Muito bom, mesmo.

Abraços!

Dora disse...

Quantas vezes, pode-se confundir um "nada" com um "tudo" no meio do caminho! Principalmente sem completar a "volta".
Beijão!!!!!
Dora

Anônimo disse...

Por que nao:)