quarta-feira, outubro 04, 2006

Sensitivo

não é real
o espinho
em meu pé

nem meu pé
no espinho

só é real
essa dor
que inventa

o meu pé
e o espinho.

13 comentários:

Márcia(clarinha) disse...

maldita dor que inventa até o espinho...
linda noite
beijosssssssss

Nanna disse...

Toda dor é verdadeira, mesmo as esquecidas...

Beijos...

Dora disse...

Sim!!! Sem essa conseqüência da sensação dolorida...que acontecimento "diferente" seria um espinho no pé? Não há espinhos nos caules das rosas? Tornar-se-iam realidades iguais...
Beijo!!!
Dora

claudia disse...

adorei

beijo
no coração

Vicente Siqueira disse...

Oi, Poeta.
Peraí.
Deixe a dor doer. Afinal de contas para quê que ela foi feita?
Hummm.... a Dora falou em rosas. Prefiro então... porque lá tem pétalas.
Deixo doces sem espinhos.
Vicente

Jéssica disse...

Qual seria a dor que doi mais?

Loba disse...

Poeta, estou levando os 5 últimos poemas. Gostaria muito de comentar cada post, mas a sua poesia exige mais do que apenas ser lida, né?
Vou imprimir, ler, ler de novo... e gostar muito, tenho certeza! rs...
Beijo de saudade, viu?

diovvani disse...

Genial!

Anônimo disse...

a gente sempre dá um jeito de se reinventar depois de uma dor, não é?

te beijo

Nefertari


ps. pode sim, sempre que quiseres...

Leandro Jardim disse...

Este poema é perfeito!

zingarah disse...

Wilson,
adorei o texto que vc colocou lá no "outros-poemas"! Só que não consegui deixar comentário lá...vou adicionar o "link", ok?
Beijos,
Zingarah

Clara disse...

Gostei... Bom fim de semana!

Márcia Sanchez Luz disse...

Também gostei muito daqui!!
Márcia