domingo, dezembro 10, 2006

Devaneio

Um mesmo risco emaranhou-se infinito
desenha a paisagem até depois do depois
onde o olho não alcança mais
apesar do esforço e das muletas.

O instante estacionado à beira do mistério
a viagem agora é em circulos
o caminho deslizando no abstrato
dentro e feito de outros caminhos.

2 comentários:

Lino disse...

Círculos, dentro de círculos, dentro de círculos, dentro... são como os caminhos, que se ligam, se cruzam, mas também se separam.

Anônimo disse...

um circulo, por vezes, nos faz encontrar o que queremos...
penso que não num labirinto!

te beijo

Taís