quinta-feira, fevereiro 15, 2007

confuso

dói tanto
ainda
não sei
se

ele
(o dente)
ou eu

quem
foi
extraído
de quem.

3 comentários:

Mary disse...

Maravilhoso esse!
Adorei.

Beijos,
CabeçadeSexta
[http://blogdesete.blogspot.com]

Vicente Siqueira disse...

Oi, Poeta.
Você sente a dor.
Nós sentimos prazer
(em ler você)
Pra curar essa dor rapidamente eu vou deixar docessss.
Vicente

Loba disse...

Poeta é assim: faz do prosaico uma obra de arte!
Às vezes é bom ser extraído de si mesmo... olhar de fora pra dentro tem uma outra dimensão, né? rs...
Beijo querido.Muitos