terça-feira, fevereiro 27, 2007

continuAção

da mira há
um que fita
e fixa o olho no olho
profundo
do espelho

depois (d)escreve


: aquilo que não pode
Ser
(d)escrito.


para Cecilia Cassal

2 comentários:

trisy disse...

enigmas poeticos? ritmo e misterio.Os poemas tambem sao assim.

CeciLia disse...

Meu olho
coxo
de tanto
andar
não decifra
nem dá
cifras.
Não olha
mais.

Abraço, Wilson. Obrigada pelo carinho com que acolheu as palavrinhas
minhas.