segunda-feira, setembro 11, 2006

Observando

como se fossem ariscos
ainda os sapatos

assim em nós amarrados

como se fossem bichos
de estimação.

9 comentários:

Clauky Saba disse...

hummm adorei! adoro quando o poeta chama as palavras para brincar...

"assim em nós amarrados"

poetabraços

Clauky Saba disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Loba disse...

Vc está numa fase de fertilidade poética incrível! Cada poema melhor que o outro! E eu cada vez mais encantada, poeta!
Beijãozão

Anônimo disse...

meus pés é que andam escravos, sem poesia, sem nós...

volta lá, mas deixa a pegada para eu seguir....


te beijo

Nefertari

Jota Effe Esse disse...

O triste é que amarremos em nós os animais de estimação, isso depois de os matar. Abraços.

Nilson Barcelli disse...

Vi-o na Loba...
Não conhecia o seu blog.
Achei-o interessante. Parabéns.
Abraço.

Fernanda disse...

Observar é o princípio da vida. Todos os seres observam. O que nos difere é a capacidade de transformar isso em poesia. Beijos.

Vicente Siqueira disse...

Oi, Poeta.
Você consegue umas observações, no mínimo originais.
Sapatos ariscos eu não tinha observado ainda.
Doces.
Vicente

Dora disse...

Sapatos simbolizam pés, que simbolizam passos, que simbolizam movimento...Então, sapatos são "ariscos" sempre, mesmo "domesticados" e transformados em "pets" ...rs
Boa "observância"!!!
Beijo.
Dora