sábado, dezembro 16, 2006

Ele sempre escapa

bicho
arisco
o poema:

é trevo
de quatro
pernas.

---

Para Val Freitas Http://www.naselva.com/valeria/

cotinua aqui:

http://devoltaaocais.blogspot.com/2006/12/para-val-freitas.html

4 comentários:

Valéria Freitas disse...

você captou minha angústia. essa desvairada sensação de que nunca, chegamos perto o bastante, Wilson. ainda estou deslumbrada com tua poesia. ainda não sei o que escrevo. mas queria deixar dito, como é bom não saber. obrigada! meu beijo pré-natalino, viu! eu volto.

Eliane Alcântara. disse...

"Ele sempre escapa"...
Poema é fundo de quintal
com olhar para o início.
Pela indicação do Touché,
venho conhecer seu cantinho.
Valeu! Parabéns!

douglas D. disse...

poesia é bicho-luz
que por vezes fica quieto
de todo escondido
brincando de não existir.

abs.

Anônimo disse...

belo poema.
e que pena que não sei contruí-los como tu!

te beijo

taís