sexta-feira, maio 11, 2007

Gruta

Em sua fenda
abstrata
sempre aberta
e fechada

o dia
não pôde entrar
a noite
não pôde sair.

2 comentários:

Mary disse...

Muito bom!

Sempre bom passar por aqui. :)

Beijoss

Loba disse...

Eita! Fiquei com vontade de fazer aqueles meus poemas escrachados! rs... De tanto que gostei deste, viu?
Beijo