sábado, janeiro 19, 2008

sem pressa

sou poeta
de um poema
inacabado

: ainda
espero
o inesperado.

8 comentários:

Anônimo disse...

Pô guaxi,gostei bastante,

showw,showw,showwww!!!!

Jaleko disse...

vc tá numa

fase, hein?!!!??

tá escrevendo muito

Anônimo disse...

Olá, Wilson! Ao poeta cabe sempre o inesperado, ainda que ele resida no mais comum dos fatos cotidianos. Belo poema, meu camarada! Em breve estaremos circulando nas Trilhas, hein! Muito bom!

l. rafael nolli
www.rafaelnolli.blogspot.com

Drikaflor disse...

Amei aqui...realmente és poeta...beijão

www.drikaflor.zip.net

Vieira Calado disse...

Diz bem.
O poema, a obra d'arte nunca está acabada.
Já me aconteceu tirar uma palavra ou mesmo uma frase e colocar outra, em poemas que escrevi há 40 anos!
Um abraço.

Cynthia Lopes disse...

Do inesperado verso que nos acorda nas madrugadas e não nos deixa dormir, enquanto não lhe damos forma. Bjs...

Mara faturi disse...

...encantamento inesperado... pelo poema e sempre pela ausência;
ADOREI TUDO!!
*cheguei até aqui pq vc foi selecionado para o projeto pão e poesia (eu tb); estou visitando os poetas selecionados(brioches, rs,rs);
até mais,
:)

CeciLia disse...

Wilson!!
A quantas eras não te lia deste jeito, abundante... Coisa boa.
Parabéns pelo Pão & Poesia.
Abraços
Cecilia